TRATAMENTO DE CANAL CAUSA DOENÇAS NO ORGANISMO?


TRATAMENTO DE CANAL CAUSA DOENÇAS NO ORGANISMO?


Recentemente assisti a um vídeo baseado no livro Root Canal Cover-up e um filme na Netflix, de nome A Raiz do Problema. Ambos tratavam do mesmo tema: O tratamento de canais radiculares (tratamento endodôntico) é contra indicado, pois funciona como um depósito de bactérias nocivas ao organismo, que causa diversas doenças no organismo. Até que ponto essa afirmação é verdadeira?
Primeiramente, nosso organismo é habitado por milhões de bactérias! Existem bactérias em todo nosso tubo digestivo, da boca até o ânus, e, admite-se a teoria de que o corpúsculo celular chamado de Ribossomo foi uma bactéria que se incorporou na célula humana para acelerar a síntese de proteínas, pois é o único corpúsculo que possui ácido nucleico (RNA) além do núcleo da célula. Logo, essa simbiose que o organismo humano tem com as bactérias não é de hoje. Milhões de anos de aperfeiçoamento genético conseguiu formar nosso organismo e a convivência com as bactérias é algo comum e extremamente necessário. Só para citarmos um exemplo, nós não possuímos enzimas para sintetizar as vitaminas do complexo B. São as bactérias que moram em nosso estômago é que fazem isso por nós!
Um filme que retrata muito bem essa simbiose é o filme Guerra dos Mundos, estrelado pelo ator Tom Cruise. Para quem não viu (recomendo assistir), o filme descreve uma invasão alienígena bem planejada e que consegue dominar a raça humana. Os próprios humanos eram usados como fonte de energia e alimento para os extraterrestres. Todavia, os alienígenas só não contavam com uma coisa: As bactérias! Em determinado momento do filme quando parecia tudo estar perdido, houve uma epidemia entre os alienígenas e todos morreram doentes. O planeta Terra foi salvo pelas bactérias!
A simbiose entre humanos e bactérias é fundamental para a sobrevivência de ambos. Os humanos fornecem moradia, água, alimento e uma temperatura constante para o crescimento das bactérias. Por sua vez, as bactérias são a primeira barreira de proteção do organismo contra outros seres unicelulares e participam na produção e síntese de várias substâncias que vão ajudar nosso organismo a se manter devidamente nutrido.


O que é a Polpa e por que é necessário o Tratamento de Canal?
Anatomia Interna do Dente

O dente é formado por esmalte, dentina e polpa. A polpa, popularmente conhecida como nervo, é uma estrutura formada por vasos sanguíneos, terminações nervosas e células. Ela tem como principais funções a reposição mineral do dente e a sensibilidade para que o cérebro controle a força exata que os músculos da mastigação têm que empregar para triturar os alimentos. Quando esta estrutura é danificada pela cárie ou por uma fratura, a polpa fica exposta ao meio bucal e, então, ocorre a temida dor de dente. Neste estágio só existem duas opções: A extração ou o tratamento de canal.
Dente com cavidade provocada pela cárie
Etapas do tratamento de canal

O tratamento de canal consiste na remoção total da polpa e em seu lugar preenchemos hermeticamente o canal vazio com um material borrachóide e um cimento. Com o canal tratado o dente pode permanecer na boca por toda a vida do paciente.

sistema de canais radiculares
O canal dentário é uma estrutura complexa. É um verdadeiro sistema de canais que não conseguimos visualizar durante o tratamento. Usualmente identificamos os canais principais onde fazemos a instrumentação (remoção da polpa). Utilizamos também medicamentos para destruir as possíveis bactérias que permaneceram nos canais secundários. Esses medicamentos (fenol, paramonoclorofenol canforado, tricresol formalina, dentre outros) tem a propriedade de fixação celular. A fixação consiste em desidratar a célula até ela morrer. Esses medicamentos são colocados no canal nas sessões de tratamento. Por fim, os canais são obturados com um material borrachóide chamado de guta percha e um agente cimentante a base de óxido de zinco ou hidróxido de cálcio. As pesquisas mostram que esses medicamentos fazem uma desinfecção dos canais, ou seja, as bactérias que permanecem nos canais secundários morrem por ação dos medicamentos.
Uma vez o canal tratado inicia-se o processo de cicatrização, que pode demorar alguns meses. São os sinais de uma cicatrização normal: Ausência de dor, secreção, fístula, formação de lâmina dura ao redor do dente tratado (uma fina camada de osso cortical que envolve toda a raiz do dente).


Então, voltemos ao questionamento inicial: O tratamento de canal pode provocar doenças orgânicas? Sim e Não!
Vamos descrever a opção SIM:
Caso ele não apresente condições ideais de cicatrização, é sinal de que há presença de bactérias no interior do canal. Essa permanência das bactérias pode ser causada por dois fatores: Resistência da bactéria aos agentes químicos utilizados no ato do tratamento ou a imperícia do dentista executante do tratamento. Estas bactérias provocam uma infecção crônica, em que os sintomas nem sempre são aparentes. Dificilmente o dente dói, pode apresentar uma leve dor na ponta da raiz, uma fístula, que é um pequeno canal que o organismo produz para que a secreção seja drenada para o meio externo, ou simplesmente a destruição da lâmina dura e formação de tecido de granulação. Neste caso há uma bacteremia, ou seja, bactérias e toxinas são lançadas na corrente sanguínea podendo causar diversas doenças no organismo. Neste caso somente a extração do dente resolverá o problema.
Agora vamos descrever a opção NÃO:
Quando o dente apresenta condições de cicatrização normais é indicativo de que não há atividade bacteriana. Logo o canal está desinfectado e não será transmissor de bactérias para a corrente sanguínea. Ao contrário do que diz o filme e o livro, um simples exame radiográfico pode detectar a presença de infecção pela destruição da lâmina dura que envolve as raízes dos dentes. Como a infecção produz um meio ácido, o tecido ósseo é logo corroído e destruído. O nível de destruição irá variar de acordo com a severidade da infecção. Porém, uma pequena destruição já é indicativa de atividade bacteriana nociva dentro do corpo humano. Estando tudo bem não há por que extrair o dente.


Outras Considerações
Outro aspecto descrito foi o bloqueio do fluxo energético por causa do dente com canal tratado prejudicaria os meridianos, e, com isso, os órgãos que se conectassem energeticamente com estes meridianos ficariam sensíveis às doenças. O corpo humano é um supercomputador orgânico com diversas interfaces. Quando uma está prejudicada, logo um circuito auxiliar é acionado. Na ausência dele é criado um novo. Vemos isto nos vasos sanguíneos e até mesmo nas terminações nervosas! Milhões de anos de projeto por parte de Deus e outros tantos milhares de anos de aperfeiçoamento genético, nos fazem capacitados para sobreviver em qualquer circunstância e meio ambiente!


Finalizando, recomendo um exame preventivo periódico a cada seis meses no máximo. Não só os problemas de canal precisam ser examinados, mas também problemas na gengiva que pode provocar a doença periodontal, que ainda é incurável e que causa outras tantas infecções no organismo. Neste exame preventivo fazemos o exame clínico e radiográfico para detectarmos possíveis problemas. Encontrando o problema na sua origem a solução é mais fácil.


TRATAMENTO DE CANAL CAUSA DOENÇAS NO ORGANISMO? TRATAMENTO DE CANAL CAUSA DOENÇAS NO ORGANISMO? Reviewed by Unknown on 20:03 Rating: 5

Nenhum comentário

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...

Anúncio Google