sexta-feira, 31 de janeiro de 2014


Tempos atrás escrevi um post sobre cobrar ou não orçamento. Naquele post escrevi sobre a possível origem da não cobrança de orçamento, meu ponto de vista, etc. Naquela época decidi por usar a consulta de orçamento como investimento, ou seja, usaria a consulta inicial para divulgar meu trabalho atraindo o possível cliente para dentro do consultório sem cobrar nada. Pensava com isso que ao ver os diferenciais de atendimento, técnica e amabilidade o possível cliente certamente fecharia o tratamento. E de fato consegui muitos assim! Tive também alguns problemas que não valorizaram a odontologia, mas o que percebi ao longo dos anos é que meu trabalho não era valorizado, apesar de todo o preparo técnico. Percebi também que muitas pessoas querem somente dar uma "olhadinha" e depois gastar o dinheiro em outras coisas. Tratar dos dentes? Só quando doer ou quebrar o dente da frente, pois ninguém em sã consciência quer ficar sem os dentes da frente...
Como meu consultório fica dentro de um shopping com vários consultórios e laboratórios, percebi que algumas pessoas queriam fazer orçamento só para passar o tempo enquanto aguardavam a hora de uma consulta médica, exame ou um amigo fazendo compras. Percebi também que as pessoas querem informação sobre seus problemas bucais, mas não querem pagar por essa informação que foi aprendida após longas horas de estudo.
Sentindo na pele o desprestígio passei a não dar mais importância a essa primeira consulta, que considero uma das mais importantes, e tratava mecanicamente meus possíveis futuros clientes. 
Como também não estava gostando dessa minha postura, pois adoro ser dentista, revi meus conceitos e resolvi dar uma nova roupagem ao velho orçamento das clínicas chamadas de populares. O que me espantou é a constatação de que na verdade nunca dei um orçamento, pois nunca peguei uma tabela de preços dos tratamentos, abri a boca do paciente e preenchi um papel com os preços da tabela. Na verdade sempre fiz uma avaliação e planejamento do tratamento, mas eu não dava importância a esse meu esforço. Como não me valorizava porque uma pessoa que mal me conhece vai dar?
Por isso, passei a orientar minha equipe que de agora em diante não faremos mais orçamentos, mas sim uma Consulta de Avaliação e Planejamento do Tratamento! A pessoa ao ligar ou entrar no consultório é orientada sobre esta cobrança e minha equipe explica o que faremos nessa consulta inicial. Ao usar esse novo expediente percebi que o número de recusas foi um pouco menor do que quando não cobrava. Todavia, o que mesmo me impressionou foi a mudança da minha atitude diante dessa forma de abordagem inicial, pois, afinal de contas, eu estava ganhando pelo meu trabalho executado, mesmo sendo de forma mental. Também passei a me empenhar em usar a radiologia e a câmera intra oral como meio auxiliar de diagnóstico inicial. Por que não usar se a pessoa estava pagando por isso? 
O fato é que TODOS ficaram satisfeitos! Eu fiquei, pois senti meu trabalho valorizado e a pessoa também, porque recebeu uma avaliação de qualidade. Foi tratada como um ser humano e não como uma mercadoria!



4 comentários:

  1. Olá, tenho 21 anos e já retirei 3 sisos, o único que "sobrou" é o de cima do lado esquerdo, eu estou sentido muita dor de cabeça quando acordo, dor nos ombros e pelo o que eu li na internet pode ser por causa do dente..
    Mas trabalho pegando peso e andando o dia todo..
    Gostaria de saber se as dores que eu estou sentido são por causa do dente e também com quanto tempo depois eu posso voltar a trabalhar.
    Aguardo a resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso só o dentista que realizou a cirurgia poderá dizer...

      Excluir
  2. Faça sua consulta e sua prevenção.
    Seu tratamento é sério e diferenciado.

    www.odontoluz.com

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...