sexta-feira, 8 de julho de 2011

Mercado de estética odontológica é aquecido pela Classe C‏

Recebi uma pauta interessante da Priscilla Garcez sobre as novas opções de consumo da classe C, com o aquecimento da economia. É um importante momento para os dentistas criarem novos produtos e abordagens para atrair essa nova clientela ávida por bons profissionais, e que paga por isso...



Com o aumento da renda PerCapita, Classe C começa 
a procurar por serviços considerados supérfluos.
Não é só o comércio que anda lucrando com o aquecimento da economia. O mercado de serviços também vem recebendo uma boa demanda de pedidos que antes eram considerados mais supérfluos, mas que agora entraram para a lista de prioridade dos brasileiros.
O mercado odontológico, por exemplo, mudou o seu foco, que antes era direcionado apenas ao tratamento dentário e anda investindo pesado na estética. Com o aumento do crédito, as clínicas estão oferecendo tratamentos que o paciente pode pagar sem criar dívidas. Conquistar o sorriso perfeito nunca esteve tão fácil para as Classe C.
De olho nesse novo nicho de mercado a Empresa Sueca TePe, líder em higiene bucal na Europa, começou a investir no país. Visando conquistar o público latino americano, a empresa tem participado de feiras de odontologia e seus kits de limpeza especiais para quem possui implante dentário, muito comum na Europa, foi muito bem recebido pelos dentistas brasileiros.
A presença da TePe no mercado complementa a oferta de produtos de higiene bucal no Brasil que, segundo dados da Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), consolida o país como o segundo maior mercado de produtos de higiene oral do mundo (participação de 9,2%). O Brasil perde apenas para os Estados Unidos, que correspondem a 16,2%.
Para 2011 a companhia decidiu investir em um plano agressivo de crescimento no país onde atualmente possui cerca de 1,5 mil pontos de vendas sendo bastante conhecidos pelos dentistas. Estratégias desse porte visam, segundo a executiva, fazer a TePe dobrar a expansão em território nacional. Nos últimos três anos a companhia cresceu 25% ao ano. Em 2010 faturou R$ 2 milhões com a venda de mais de 500 mil escovas de dente – o volume de vendas de escovas dentais no mercado brasileiro é de 300 milhões. Agora, a meta para 2011 é alcançar R$ 4 milhões em vendas e elevar a participação do consumidor de 60% para 80% na receita.

0 comentários:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...