quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Declaração de Comprometimento com Meu Cliente

Trabalho com Reabilitação Oral em meu consultório. Apesar de não ser considerada uma especialização junto ao Conselho Federal de Odontologia, a Reabilitação Oral é uma atividade complexa, pois envolve conhecimentos profundos de todas as especialidades odontológicas. Resumindo: O Reabilitador Oral é um Clínico Geral com profundos conhecimentos e experiência em todas as áreas da Odontologia. 
Escolhi trabalhar assim porque gosto muito de toda a Odontologia. Se somente colocasse aparelhos (ortodontista), por exemplo, não me sentiria totalmente realizado.
O grande mérito do Reabilitador Oral é saber inter relacionar todos os problemas dentários que o cliente tem quando está se submetendo ao tratamento. Em muitas situações o conhecimento de uma só especialidade não é suficiente para uma solução satisfatória.
Por outro lado, o grande problema do Reabilitador Oral é o cliente que vai fazer reabilitação oral. Na maioria das vezes este cliente quer soluções rápidas, perfeitas e indolores. Ele tem dinheiro para pagar um tratamento de qualidade e, por isso, é super exigente!
Este posicionamento incisivo, às vezes, traz desentendimentos entre o dentista e o cliente, principalmente quando o dentista está comprometido em fazer o melhor.
Agora vou tecer algumas considerações sobre o cliente de reabilitação oral.

O Perfil do Cliente de Reabilitação Oral:
  1. Teve perdas dentárias totais ou parciais ao longo da vida devido a toda sorte de problemas e desinformação.
  2. Geralmente não tem bons hábitos de higiene bucal e isso é a principal causa da perda de dentes.
  3. Ao longo da vida conseguiu ascensão social e progresso financeiro, o que o leva a investir em seu sorriso.
  4. Passou por vários dentistas e realizou tratamentos diversos. Uns baratinhos e ineficazes e outros caros, mas com resultado final pífio. Além de não resolver seu problema, ainda foi traumatizado levando a ter fobia de consultório dentário.
  5. Está traumatizado com dentistas, pois foi tratado ineficazmente por vários deles, mas continua procurando porque precisa de uma "solução final".
  6. Geralmente não segue as orientações que são fornecidas ao longo do tratamento.
  7. É ansioso por natureza. Por isso, quer tudo rápido.
  8. Mesmo sem querer ou ter essa intenção, gosta de usar o bordão "eu tô pagando..." para intimidar o dentista a ser mais rápido com o tratamento.
  9. Diante de uma dificuldade no tratamento desanima, quer desistir de tudo e quer o dinheiro de volta sem se importar com o trabalho que o dentista teve e os gastos que fez.
Não pensem que sou pessimista e olhe com reservas meus clientes de reabilitação oral. Se fosse assim não seria mais dentista. Todavia, ao longo de meus 15 anos de profissão vejo que todo cliente de reabilitação oral tem alguma coisa do perfil que descrevi acima, em maior ou menor grau (já tive cliente que tinha todas estas características do perfil! Ufa...).
Soma-se a isso outra dor de cabeça do Reabilitador Oral, que se chama Laboratório de Prótese. Todo trabalho de reabilitação oral passa pelo laboratório de prótese. É o protético que vai fazer o trabalho metalúrgico e artesanal para produzir uma prótese que se pareça com uma dentição natural. Mas nem tudo são flores entre o dentista e o laboratório de prótese. Às vezes o laboratório trabalha mal e toda a reabilitação fica comprometida, seja em qualidade e/ou prazo de entrega. O cliente de reabilitação oral pensa que vai dar tudo certo logo de primeira, mas se o laboratório trabalhar mal o resultado final não será satisfatório. Contudo, na maioria das vezes, o laboratório trabalha bem, mas devido à complexidade da reabilitação ele também tem dificuldades em finalizar o tratamento satisfatoriamente dentro do prazo previsto.

Levando em consideração todas as afirmações acima, enuncio agora a Declaração de Comprometimento com Meu Cliente:
  • Estou preparado tecnicamente, psicologicamente e emocionalmente para fazer a melhor reabilitação oral possível que me foi contratada. Minha referência é como gostaria se o tratamento fosse realizado em mim mesmo.
  • Não estou interessado no dinheiro do cliente e sim devolver sua saúde bucal e seu sorriso. Honorários é consequência de um trabalho bem realizado.
  • A Reabilitação Oral será realizada no menor espaço de tempo possível. Se o tempo extrapolar foi porque houve problemas técnicos que impediram de cumprir o cronograma. Apesar de gostar muito do meu cliente quero que ele tenha alta o mais rápido possível por três razões: Ele vai desfrutar seu investimento, vai divulgar meu trabalho e vai abrir espaço na agenda para outro cliente de reabilitação.
  • Existem dois tipos de Reabilitação Oral: A bem feita e a mal feita. A "mais ou menos" considero mal feita. Sempre irei fazer a "bem feita" para meu cliente, mesmo se tiver que repetir todo o tratamento.
  • A Reabilitação Oral é a ciência da fração de milímetro, da forma ideal e da cor perfeita. Se uma ou mais dessas características não forem atingidas todo o tratamento está comprometido. E tenho por meta finalizar a Reabilitação atingindo todas estas características.
  • Se meu cliente estiver insatisfeito com meu trabalho poderemos negociar pacificamente um acordo. Porém, o cliente deve estar ciente que devoluções de dinheiro não estão previstas no orçamento mensal do consultório e, por isso, devem ser analisadas as formas de ressarcimento sem comprometer a saúde financeira do consultório.
Lembre-se de uma coisa: Quando Deus projetou o homem fez com que a dentição permanente levasse cerca de 12 a 15 anos para se formar completamente. Como você quer uma "terceira dentição" seja confeccionada rapidamente? Então tenha paciência e não fique pressionando por resultados...

No caso de implantes dentários há um fator complicador que é a estrutura orgânica do cliente, que pode comprometer a osteointegração do implante. Em outras palavras, em algumas pessoas o implante não dá certo. É uma minoria (cerca de 2% dos casos, segundo estudos), mas acontece. Não temos parâmetros suficientes para afirmar com 100% de certeza que o implante vai dar certo. O cliente deve estar ciente da possibilidade de seu tratamento não dar certo. Como disse, é uma minoria, mas acontece.

Finalizando, quero que meu cliente sempre tenha em mente que quero o melhor para ele. Se não conseguir resolver o problema irei consultar e/ou indicar outro profissional para este fim. 

0 comentários:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...