sábado, 4 de dezembro de 2010

Pergunta do Cliente 8 - Violência infantil e doença periodontal

Relato da Cliente:
“Estou apavorada! Meus dentes aparentemente sadios começaram a ficar frouxos começou ontem e hoje comecei a salivar em excesso e saindo sangue e eu escovo e uso enxaguante bucal duas vezes ao dia. Trabalho e infelizmente não posso dispor demais que cinco minutos fazendo a limpeza depois do almoço. Fiz tratamento dentário completo há três anos e as obturações já estão caindo. É normal?
Será que é por causa das mudanças do corpo afinal estou com 37 anos? Sempre tive problemas com os dentes. Aos sete anos sofri um acidente um dos meus dentes da frente ficou todo enterrado na gengiva. Minha boca é torta a dentição.
Obs.: minha mãe me deixava com uma pessoa muito esquisita a mulher vendo a minha boca inchada e cheia de sangue colocou sal pra parar de sangrar fiquei seis horas até a minha mãe chegar e levar na emergência e depois ficou me maltratando. Coisas que a gente tem que passar... Por favor, mães cuidado com quem deixam os seus filhos! Obrigada pela atenção
Meu nome é ceia eu em quem fiz o comentário dos dentes frouxos não consigo postar com o nome do usuário do Google quero perguntar sobre tipos de pontes fixas que posso utilizar, pois a famosa perereca esta me incomodando muito de uns tempos para cá. Obrigado pelos conselhos que o senhor dá e as dúvidas que esclareça. Tchau!”

Resposta do Dentista:
“Lamento muito que você sofreu. Certamente os problemas bucais que a estão atormentando são reflexos de maus tratos sofridos na infância. Temos que ter muito cuidado com quem nossos filhos ficam. Tenho um menino de quatro anos. Apesar de ficar com a avó, monitoro sua permanência lá várias vezes ao dia por telefone. É um excesso de zelo que devemos ter pra não nos arrependermos depois, porque a violência doméstica parte das pessoas que menos esperamos. Todavia, como já dizia o apresentador de circo “o espetáculo tem que continuar” e a vida tem que continuar, tem que ser bem vivida e as injustiças do passado devem ser deixadas para trás sob o risco de ficarmos acorrentados aos nossos infortúnios.
Você fez diversas perguntas no seu texto. Então procurarei respondê-las uma a uma.
Dentre as doenças bucais, as que mais afetam o homem são a cárie e doença periodontal. Hoje mesmo estive conversando com um cliente que perdeu vários dentes na sua juventude. Ele diz que sua neta está entrando na adolescência e não possui dentes cariados. Naquela mesma idade esse meu cliente já tinha perdido vários dentes. Disse a ele que com os conhecimentos da fisiopatologia da cárie dentária descobertos na década de 70, os procedimentos de prevenção e tratamento fizeram com que a cárie dentária fosse erradicada em crianças com os devidos cuidados de alimentação e higiene oral. Entretanto, a doença periodontal continua a perturbar muita gente. Ela não tem cura. É como uma doença crônica, tal como o diabetes, que só conseguimos controlar seu poder destruidor. Por isso, a pessoa fica por um longo tempo sem ir ao dentista a doença periodontal pode se instalar e destruir os ossos de suporte dos dentes. Mesmo bonitos ele podem cair uma a um...
Esse é o seu caso quando você menciona “dentes aparentemente sadios”. Você está com doença periodontal e o sangramento gengival é o principal sintoma.
Você fala que não pode dispor de muito tempo para fazer uma adequada higienização. Isso é a causa principal da doença periodontal: Má higiene bucal. Infelizmente a jornada de trabalho excessiva impede que tenhamos uma adequada alimentação e higienização e isso potencializa o surgimento de várias doenças e dentre elas a doença periodontal. É necessário estabelecermos critérios de alimentação e higienização para termos um corpo saudável. Até porque para podermos trabalhar bem temos que ter um corpo saudável.
Você fez tratamento dentário há cerca de três anos e nunca mais foi ao dentista. Isso que não é normal! Experimente fazer a revisão do seu carro a cada três anos. Certamente você vai ficar a pé!
O ideal é que as pessoas visitem o dentista a cada seis meses. Com essa freqüência conseguimos plotar e resolver os problemas bucais ainda na sua fase inicial. Isso é muito bom, pois não dói, é rápido e custa pouco. Porém quando a visita é quando aparece algum problema, aí a solução pode ser complicada, demorada e custosa.
Quanto a sua idade não se preocupe. Aos trinta e sete anos você está muito jovem para se achar decrépita... hehehe...
Acidentes na infância são normais. Toda criança normal já caiu de cara no chão ou quebrou um dente. Contudo, os responsáveis devem estar atentos para evitar que eles sejam mais graves. Crianças não têm senso de conseqüência. São imediatistas. Por isso, devemos estar atentos as suas atitudes e nos anteciparmos ao menor sinal de perigo.
Por fim você fala em tipos de próteses. Diz que usa uma “perereca”. É o nome pejorativo da prótese parcial removível. Esse apelido foi por causa do pequeno anfíbio facilmente encontrado nos alagadiços do Brasil e que pula muito e não conseguimos pegar, porque é escorregadio. Nos EUA o apelido é “Flubber” em homenagem a um famoso golfinho, muito comum nos parques aquáticos daquele país. Por isso, oriento aos meus clientes que digam que estão usando uma Flubber! É mais sofisticado...
Existem várias configurações de próteses. Neste caso precisamos de examinar a arcada dentária e avaliar qual é a prótese mais indicada para solução do caso.
Procure seu dentista para uma correta avaliação!"
Veja os seguintes posts para complementar o que acabamos de conversar:
  1. Doença periodontal
  2. Como salvar um dente?

0 comentários:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...