sexta-feira, 16 de julho de 2010

Contando o que acontece num dia de trabalho de um dentista.

Nunca escrevi um post assim, mas como o dia teve várias nuances resolvi contá-lo para vocês. 
Comecei o atendimento às 9h. Os clientes (mãe e filho) se atrasam. Resolvo tomar um café e bater um papo com meu secretário e outro colega dentista. De repente chega um cliente que me deu um calote. Gente boa fez um primeiro tratamento e me deu 10 cheques sem fundos, mas pagaram todos eles. Decidiu fazer outro tratamento e me deu mais quatro cheques sem fundos e não pagou nenhum deles. Resultado: Fiquei no prejuízo. Ele tem vindo sorridente pedir que devolva os cheques para justificar com o banco, mas depois vai me pagar. Acredito meio incrédulo. Não quero mais ter problemas com clientes. Por isso, fiz uma parceria com a Vital Cred para evitar esse tipo de problema. Devolvi o último cheque e ouvi a mesma promessa. Acontece que o cara resolveu abusar. Reclamou que a coroa de porcelana que fiz está com uma desadaptação e queria corrigir. Também queria que tratasse de outro dente fraturado. Falei que teria o maior prazer em cuidar da saúde bucal dele, mas ele teria que me "abençoar" primeiro. Aí ele deu uma evasiva e foi embora de fininho. Aí chegaram meus clientes 45 minutos atrasados. Para a mãe fiz uma dentadura dupla que chegou com elas nas mãos dizendo que não dava para usar e que a antiga é que era a boa. Lembrei que a antiga ela usava há 40 anos (novo recorde!) e que não seria numa semana que iria se adaptar a uma nova. Fiz os ajustes e ela ficou mais confortável. O filho também começou a colocar defeito na prótese total. Disse que era necessário um tempo de uso para que a musculatura da face se adequasse a essa nova realidade. É nessa hora que o dentista tem que ter paciência para defender seu trabalho a toda sorte de acusações. Depois o filho foi atendido com uma restauração fraturada. É a terceira vez que refaço o tratamento e novamente falei da necessidade de se comer devagar para não forçar um dente que já está com 3/5 de sua estrutura comprometida. Se acontecer novamente coroa total metálica nesse segundo molar! 
A cliente das 10 faltou. Essa é faltadora crônica. Já não marco mais horário para ela. É perda de tempo...
A cliente das 10h30 estava com uma sensibilidade no incisivo lateral e trouxe uma lamentável notícia da morte se sua mãe, que era minha cliente também. Aos 80 anos, lutava contra um câncer. A médica receitou quimioterapia. Após a primeira sessão (seriam necessárias seis) ela contraiu uma pneumonia e morreu. Agora questiono: Será que era mesmo necessária uma quimioterapia numa senhora de 80 anos? Será que um tratamento paliativo daria a ela uma sobrevida maior? Definitivamente alguns médicos não conseguem enxergar além de sua especialidade...
O cliente de 11h é social. Fiz uma dentadura dupla e não cobrei nada. Sou ouvinte da Super Rádio Tupi do Rio de Janeiro e, de vez em quando, atendo o pedido de algum ouvinte carente e faço seu tratamento dentário gratuitamente. O homem ficou bonito com os dentes novos e não veio para a revisão. Nem avisou. Falta de consideração...
O das 12h é um cliente que fez consulta de revisão. Finalmente meus esforços para trazer clientes para revisão estão dando certo. Nesse mês vieram vários. Eles são beneficiados com cuidados preventivos e eu tenho uma renda extra com as consultas.
Fui almoçar com meu amigo dentista e retornei às 15h. Esse amigo faz um tratamento branqueador interno no incisivo central superior, mas não fizeram um vedamento correto da entrada do conduto. Resultado: Após 10 anos o dente está sofrendo uma reabsorção externa. E para piorar sofreu uma fratura coronária quando ele estava comendo uma azeitona! Um colega fez uma parte do tratamento e para mim sobrou colar os braquetes para uma extrusão da raiz. Só que ele é meio ansioso e não queria esperar. Acabei atendendo ele e atrasando os demais atendimentos. Atender dentista é fogo! O cara sabe o que a gente está fazendo e fica cheio de frescura. Após muitos remelexos, frescuras, faltas de ar, etc., consegui colar os braquetes.
O cliente das 15h atendi às 15h50. Era uma endo de premolar, mas como a gengiva interproximal estava sangrando muito não deu para acessar os canais. Na próxima consulta terei que fazer uma gengivectomia e aumento de coroa clínica. Na hora de pagar deu uma desculpa esfarrapada de empurrou pra sexta que vem o pagamento que deveria ter iniciado na semana passada. Acho que esses caras pensam que sou rico...
A cliente das 16h foi uma cirurgia de remoção de um cisto inflamatório na vestibular do primeiro premolar superior. Procedimento tranqüilo. Seu filho que é formado dentista acompanhou o procedimento. Decidiu abandonar a profissão para ir para o funcionalismo público federal. Mais um que abandona a caravela de Pierre Fauchart. Uma coincidência é que o marido dessa cliente serviu no mesmo quartel do Exército que eu servi, com a diferença que saiu um ano antes. Foram momentos de saudosismo dos dias de caserna...
A cliente das 17 horas faltou. Estou lutando há quase um ano para terminar esse tratamento que levaria no máximo seis meses, mas a cliente não ajuda...
A cliente das 18h veio me pagar uma parcela há quase um ano atrasada. Que bom! Dindim no caixa!!
A cliente das 19h veio fazer um orçamento para estética e implantes. Foi bem indicada e gostou do atendimento. Mais uma nova cliente a caminho!
Acabou o expediente. Vou embora feliz dar um passeio com Davi, meu filho, para comprar carrinhos e DVD de desenhos. Tem uma feirinha perto de casa que ele adora ir para "às compras"...
Dia de dentista é assim...

0 comentários:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...