terça-feira, 25 de maio de 2010


Já começo dizendo que não se trata de auto-retrato (rss), mas para ilustrar que nossas posturas, gostos ou tendências nem sempre vão agradar a todos. Quem pensa o contrário disso vai ficar louco...
Em meus quase 5.000 atendimentos já vi de tudo, já convivi com pessoas de todo tipo, e posso afirmar que nem sempre nossa conduta clínica será do agrado de todos. Sempre haverá um que irá contestar, esbravejar, questionar, insultar e te processar! Se isso não aconteceu ainda contigo, se prepare...
Para ilustrar o que disse vou citar um caso que me ocorreu recentemente. Uma cliente chegou ao consultório no meu horário de almoço relatando uma profunda odontalgia. Imediatamente interrompi o que estava fazendo e fui atendê-la. Anestesiei e pedi que esperasse a anestesia fazer efeito para diagnosticar o real problema. Passado algum tempo ela retornou ao consultório ainda queixando-se de dor. Fiz radiografia que não mostrou nada de anormal e apliquei mais uma dose de anestésico. Como a dor não passava e ela já estava com toda região bloqueada (dente 45), comecei a suspeitar de dor miofacial, dor de ponto álgico ou dor nevrálgica (até a hipótese de infarto não descartei). Fiz exame de palpação na face e pescoço. Como não conseguia identificar a origem da dor, resolvi medicar com um relaxante muscular e aguardar a reação do organismo. No dia seguinte ela me liga pela manhã (8h30) relatando que a dor não havia cessado. Então solicitei que viesse novamente ao consultório para novo exame e ela disse que estava indo imediatamente. Porém, ela só chegou perto das 12h. Como estava atendendo uma cliente e depois faria um rápido orçamento, deixei-a esperando na sala de estar por algum tempo. Logo quando a cliente do orçamento entrou, esta cliente começou a se exasperar dizendo que eu estava fazendo pouco caso com ela e que iria procurar outro profissional. Foi embora batendo o pé...
Chateado com o ocorrido escrevi uma carta para ela desculpando-me do ocorrido, pois prefiro cartas a telefonemas (é mais pessoal), mas a cliente respondeu por e-mail cobras e lagartos e me ameaçou de abrir um processo ético por má conduta profissional.
Pacientemente expliquei para ela toda a minha conduta clínica e que não havia o menor cabimento de querer a fazer sofrer de dor desnecessariamente. Disse a ela que só não a atendi imediatamente porque pensava que a dor não estava tão alucinante como ela estava relatando. Pois, quem está com uma dor alucinante às 8h30 não vai chegar ao dentista às 12h, morando no bairro ao lado.
Não teve jeito. A mulher disse que não sou mais o dentista dela e que vai ao CRO fazer queixa de mim. Fazer o que? Mais uma vez (já foram três vezes nestes 15 anos) que comparecerei à Comissão de Ética para justificar meus atos...
Vida de dentista é assim mesmo. Entretanto, tenho algumas dicas para minimizar efeitos danosos à reputação do dentista:
1º) Seja o mais ético possível com seu cliente, dando-lhe o devido respeito;
2º) Em casos de tratamentos extensos faça um contrato de prestação de serviços, especificando todos os procedimentos e formas de pagamento;
3º) Receba os pagamentos antecipadamente. Se for receber em dinheiro ao longo do tratamento, faça um documento de duas vias detalhando os pagamentos com as respectivas datas;
4º) Dê todas as orientações por escrito de como proceder em determinados tratamentos;
5º) Esteja sempre disponível a seu cliente. Um celular ajuda muito;
6º) Se o cliente desagradar, não quiser mais se tratar com você e quiser o dinheiro de volta, devolva. Se receber de volta ele não terá como entrar na justiça contra você. A devolução já é um acordo.
7º) Evite advogados, pois eles vão te cobrar 20 a 30% do valor da ação indenizatória que o cliente mover contra você. Isso poderá ser um valor acima do que o cliente pagou, já que ações indenizatórias os valores são altos justamente para forçar uma negociação a um valor real. Além do desgaste de você ter que fechar o consultório para ir ao tribunal.

Um detalhe neste caso é que a cliente me acusou de só pensar no dinheiro. Acontece que não cobrei um centavo pelo tratamento, porque não sabia com exatidão o que se tratava realmente.

Bem, ela foi a outro colega que fez um acesso no dente e era um abscesso dento alveolar agudo. A sintomatologia foi tão estranha que me enganou completamente...

Vamos ver como vai ficar o caso. Irei mantê-los informados.

O bom de blogar é que desabafei e agora vou dormir tranqüilo... hehehe

Um comentário:

  1. Relaxa ... o que mais tem hj em dia é nêgo vagabundo querendo se aproveitar de dentista.

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...