sábado, 6 de março de 2010

Quando não souber o contexto da história pode causar problemas

Quando era adolescente tinha um colega que me fez um pedido inusitado: Como morava perto da escola que a namorada dele estudava, pediu que tomasse conta dela, pois suspeitava que ela estivesse saindo com outro rapaz. Inocentemente concordei e iniciei as investigações. Não tardou para descobrir que a menina estava mesmo beijando outro rapaz. Então, mais que depressa transmiti o relatório detalhado para meu colega corno (adolescente corno). Como todo corno adolescente ou adulto, ele não acreditou, ficou com raiva e parou de falar comigo. A garota continuou com ele e com o outro rapaz e eu fiquei mal com todo mundo. Afinal de contas era “o pivô da discórdia”...
Aprendi com isso que para tomar decisões e posicionamentos devemos conhecer o contexto da história, senão podemos causar problemas mesmo tendo boas intenções.
Nesta semana um casal de amigos meus visitaram o consultório para realizarem tratamento. Entretanto, um procedimento que a esposa desse meu amigo necessitava fazer, eu encaminhei para outro colega, pois não o fazia. Relatei a esse meu colega sobre o caso. No dia seguinte a esposa do meu amigo foi a este colega e durante a avaliação ele constatou que o problema era de fundo emocional e indicou para outro colega terapeuta, inclusive levando-a até ao consultório dele pessoalmente. Essa cliente não teve escolha senão iniciar o tratamento com outro profissional.
Acontece que ao falar com seu esposo pelo telefone do ocorrido, o mesmo ligou para mim reclamando que a esposa dele foi fazer um tratamento e naquele momento estava noutro consultório fazendo outro tratamento, que no julgar dele era totalmente desnecessário.
Sem saber de nada liguei para meu colega para saber o que houve e ele disse que “era essa a conduta”. Será?
Como sei do contexto da vida desse casal nunca indicaria tal tratamento. Porém, meu colega cometeu o mesmo erro que cometi quando era adolescente. Quis ajudar, mas atrapalhou tudo e causou mais um problema na vida daquele casal e para mim também, pois quem indicou fui eu...
Nem sempre o que é certo deve ser dito. Nem sempre a atitude correta deve ser tomada. Tudo depende do contexto da história.
Ainda adolescente aprendi essa lição, porém esse colega acha que está certo, que fez a coisa correta. Fazer o que?

0 comentários:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...