sábado, 13 de março de 2010

A importância do dentista na vida das pessoas



Nós, dentistas, às vezes subestimamos a importância que temos na vida das pessoas. Os clientes nos procuram para resolver problemas bucais, mas esta relação profissional muitas vezes extrapola as paredes do consultório resultando numa grande amizade, admiração e respeito.
Há alguns anos atrás tive uma cliente e a atendia a domicílio. Era uma simpática senhora que morava numa casa cercada de grande área verde. Morava com sua empregada e uns quatro cachorros que ficavam “felizes” em me ver, pois tinham esperança de me dar algumas dentadas. Ao longo do tratamento ficamos amigos. Ela ficava indignada com a insistência das firmas de construção, pois queriam comprar sua propriedade que ficava numa área nobre do Recreio dos Bandeirantes. Terminei o primeiro tratamento, e, passados seis meses, ela me chamou para um novo tratamento. Tinha confeccionado uma prótese total superior e agora ela queria uma inferior. Fiz a prótese e ela prometeu o pagamento para o fim do mês.
Acontece que passados quase dois meses ela não me ligava. Achei estranho, pois foi pontual com os honorários do primeiro tratamento. Liguei para ela para saber se havia acontecido algo. Sua empregada atendeu e triste falou que minha cliente havia falecido. Ela também ficou feliz com minha ligação, pois havia sido incumbida de me localizar para o devido pagamento, mas tinha perdido meus telefones. Ao chegar à casa da cliente falecida, sua empregada disse que ela tinha passado mal e foi internada. Só que seu estado de saúde agravou e já nos momentos finais disse sua última frase antes de deixar este mundo: “Meu filho, não deixe de pagar o dentista.” E morreu.
Fiquei perplexo com que ela me disse. Num misto de tristeza e felicidade percebi o quando fui importante na vida daquela senhora, pois no seu último momento de vida ela se lembrou de mim. Coloquei-me no lugar dela e confesso que a última coisa que diria nos meus momentos finais de vida era para pagar o dentista! Iria dizer várias outras coisas, mas não ia lembrar-me do meu dentista, ou médico. Cumpri meu papel de profissional de saúde, pois vi que atrás de uma boca havia um ser humano. E esse foi o diferencial para que tivesse causado uma impressão tão impactante naquela vida.
Essa é a segunda satisfação de ser dentista. A primeira é trabalhar e receber o pagamento justo pelo serviço realizado. A segunda é ver a gratidão e a influência positiva que fazemos na vida dos clientes. Essa satisfação não tem preço...

Um comentário:

  1. Desculpa o off tópic, mas quando é que você vai me enviar um banner do blog para colocar na lista de Coregas do netdentista?

    Abs

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...