terça-feira, 30 de março de 2010

Consultório tem que ter charme

Estou lendo um livro muito interessante intitulado Oportunidades Disfarçadas, de Carlos Domingos, Editora Sextante. O livro fala sobre como tirar proveito em situações de crise. Dentre as várias histórias que ele conta, destaco a ocorrida entre a rede de varejo Wal-Mart e a Target (página 61). A Wal-Mart surgiu em 1962 e em poucos anos se tornou lider de vendas no seu segmento. Com uma política de preços agressiva, estabeleceu alianças, cortou custos e repassava essa economia para os preços dos produtos. Nenhum de seus concorrentes conseguia igualar seus preços. Consequentemente, muitas lojas concorrentes fecharam às suas portas. A Target era uma concorrente que teria o mesmo final, mas seu executivo chefe resolveu mudar o direcionamento operacional da empresa. Ao invés de fazer concorrência acirrada por menores preços, ele resolveu dar “charme” as lojas, investindo na qualidade do atendimento e na exclusividade de seus produtos, além de outras coisas. Isso fez com que um grupo mais seleto de clientes procurasse a rede Target para fazer suas compras. Essa mudança de atitude salvou a Target e a tornou mais competitiva, tendo uma lucratividade maior que a própria Wal-Mart.
Parei para pensar nisso e concluí que essa situação acima se encaixa perfeitamente com a situação dos consultórios dentários atualmente.
Vivemos dias de concorrência acirrada em todas as especialidades. A que mais sofreu foi a ortodontia (veja o post O dentista e a autofagia).
Vários consultórios optaram pela política do baratinho, atender em massa, aceitar convênios e outras condições menos honestas para ter uma fatia do mercado. São os “Consultórios Wal-Mart”. Têm preço, têm rapidez no atendimento, mas não tem um serviço personalizado. O paciente é só mais uma boca.
Sabemos perfeitamente que a maioria das pessoas não quer ser considerada “mais uma boca”, mas seres diferenciados, únicos e que precisam de cuidados pessoais para ter uma saúde bucal satisfatória. Preocupam-se com o preço, mas estão dispostos a pagar se forem bem servidos e se suas expectativas forem atendidas.
É aí que entra o “Consultório Target” com um serviço impecável, personalizado, exclusivo e que atenda o cliente como um todo. É um consultório charmoso, que dá prazer de estar nele cuidando dos dentes.
Todavia, esse conceito de charme é subjetivo e variável. Por isso, cada dentista deve estabelecer o que é “charmoso” para seu consultório.
Uma dica é: Procure sempre agradar as mulheres!
No livro “Público Alvo: Mulher”, a autora frisa baseada em pesquisas, que “80% das decisões para tratamentos de saúde são decididos pela mulher da casa”. Seja esposa, mãe, irmã, filha ou amiga, ma maioria das vezes é a mulher que decide em que dentista ou médico a família vai freqüentar.
Então um conceito de “Consultório Charmoso” é aquele que deixa as mulheres totalmente satisfeitas. E uma mulher satisfeita não mede esforços (nem dinheiro) para estar lá...
A partir deste post, proponho aos colegas, amigos e clientes que desenvolvamos esse tema a fim de estabelecer um perfil do que seja um “Consultório Charmoso”.
A meu ver essa é a solução para termos um consultório produtivo, com bons ganhos e que realize uma odontologia de qualidade.

2 comentários:

  1. gsotei muito do blog! e ja adicionei para segui-lo!!
    mto bom!

    ResponderExcluir
  2. olá amanda!
    obrigado pelo elogio!
    estou procurando canalizar as inquietações que todos nós, dentistas, passamos...

    ResponderExcluir

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...