segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

A armadilha chamada convênio

Hoje vou falar sobre convênios odontológicos. Sou meio suspeito ao escrever sobre esse assunto porque tenho ojeriza a eles. São pragas que surgiram em razão da desunião da classe odontológica. Neste exato momento em que dentistas dão duro em seus consultórios, os atravessadores (assim que chamo os administradores desses convênios) estão confortavelmente sentados em seus escritórios agiotando tratamentos dentários. Oferecem de um tudo para os conveniados e pagam uma miséria para os dentistas. Ainda por cima pagam com uma carência de 30 a 60 dias. Tem muitos dentistas que se submetem a estas empresas. Certa vez um dentista disse, orgulhoso, que conseguiu consegui comprar seu consultório com a ajuda dos convênios. O que ele não sabe que com sua labuta o dono do convênio ganhou para comprar um prédio todo e não se esforçou nem a metade que o pobre do dentista.
Também fui vítima dos convênios. Quando iniciei na odontologia achei que aceitando convênios ia captar mais clientes, pois tinha poucos na época. O que captei foi mais trabalho e aborrecimentos. Para começar o paciente de convênio é muito exigente, até mais que o paciente particular. Faz igual à Lady kate do “Zorra Total”: “To pagando...” e quer de tudo e na hora. Quer até procedimentos que não estão incluídos no seu plano. Aí você nega e ele insinua que você está “armando” pra cima dele. Além de tudo isso, levei um calote de R$ 600,00 do convênio Sorria Assim (hoje conhecido como Dent Sim) no início do primeiro mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso. Pela data já deu pra perceber que era uma quantia considerável. Fui até ao convênio e me disseram que faliram e que eu deveria entrar na justiça para pleitear o que era do meu direito. Ao invés disso, cancelei todos os convênios que atendia e passei a atender somente particular. Já se passaram 12 anos e vivo muito bem.
Outro colega que atende convênios diz que é fácil entrar neles. O difícil é sair deles.
E a burocracia? São tantos formulários a serem preenchidos. São tantos códigos a serem lançados. É um labirinto de formulários e códigos. Penso que isto é propositalmente criado para que o dentista seja mais uma vez vítima de outra armadilha. Ela chama-se glosa. A glosa acontece quando você erra alguma coisa no preenchimento e o convênio simplesmente não paga o procedimento. Ele devolve a guia e você tem que fazer tudo de novo, e esperar mais 30 a 60 dias para receber. Tem dentista que fica tão neurótico com a glosa que dedica um dia da semana para preencher guias. Um dia que poderia estar trabalhando ou em casa com a família, mas está no consultório preenchendo papel.
Penso que o dentista poderia trabalhar menos e ganhar mais atendendo clientes particulares, mas cada um pensa de um jeito...
Se você está começando na profissão cuidado com esta armadilha.

0 comentários:

Postar um comentário

Agradeço pelo seu comentário! Ele será respondido assim que puder...